História Cachoeira de Minas

História

Foi Inácio da Costa Rezende o fundador da cidade de Cachoeira de Minas, na região Sul do Estado de Minas Gerais.7

As incursões dos bandeirantes pelos sertões das Gerais beneficiaram a região do Planalto Mineiro, onde localiza-se o município. A ocupação do território ocorreu por volta de 1853, por Inácio da Costa Rezende e sua esposa Rosa Maria, proprietários da Fazenda Cachoeira. Estes doaram terrenos para a construção de uma capela, que foi eregida à margem direita do rio Sapucaí-Mirim e dedicada a São João Batista. Nasceu assim a povoação com o nome de São João Batista das Cachoeiras.

Em 1º de janeiro de 1854, inaugurou-se a capela construída pelos fundadores, Inácio da Costa Rezende e Rosa Maria, com a celebração da primeira missa pelo Cônego João Dias de Quadros Aranha. A exploração agrícola assumiu o comando da economia da comunidade, que, na época, desenvolveu-se consideravelmente.

O topônimo inicial, São João Batista das Cachoeiras, originou-se do Santo Padroeiro da primeira capela, e de quedas d'água existentes no Rio Sapucaí-Mirim.

Formação administrativa

Em 12 de dezembro de 1865 foi criado o distrito de Conceição dos Ouros e o pequeno povoado de Cachoeira de Minas ficou subordinado ao distrito. Conceição dos Ouros ainda não era uma cidade, mas tinha um sacerdote residindo em suas terras, para a época isso era o suficiente, pois todas as atividades que eram feitas tinham ligação com a Igreja Católica.

O distrito foi criado com a denominação de São João Batista das Cachoeiras, subordinado ao município de São José do Paraíso.

Na divisão administrativa de 1911, continuou subordinado ao município de São José do Paraíso (o qual teve seu nome alterado para Paraisópolis em 1914). Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1º de setembro de 1920, permaneceu subordinado a Paraisópolis.

Em 1923, foi elevado à categoria de vila, com sede na povoação de São João Batista das Cachoeiras e denominação de Cachoeiras, desmembrando-se de Paraisópolis. Constituiu-se de dois distritos: Cachoeiras e Santo Antônio do Itaim. Instalou-se o município em 1º de junho de 1924.

Na divisão administrativa de 1933, o município de Cachoeiras continuou com dois distritos: Cachoeiras e Santo Antônio do Itaim; assim permanece nas divisões territoriais de 31 de dezembro de 1936 e 31 de dezembro de 1937. Em 1938, o distrito de Santo Antônio do Itaim passou a chamar-se Itaim. No quadro referente ao período de 1939-1943, o município ainda constitui-se de dois distritos: Cachoeiras e Itaim.

Em 1943, o município de Cachoeiras passou a denominar-se Catadupas. No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município continuou com dois distritos: Catadupas (ex-Cachoeiras) e Itaim.

Em 1948, o município de Catadupas passou a chamar-se Cachoeira de Minas

Na divisão territorial de 1º de julho de 1960, o município de Cachoeira de Minas continuou com dois distritos: Cachoeira de Minas e Itaim; assim permanece na divisão territorial de 2007.

Alteração toponímica distrital
São João Batista das Cachoeiras para Cachoeiras.(ou Vila de Baixo).

Alterações toponímicas municipais
Cachoeiras para Catadupas.

Catadupas para Cachoeira de Minas.

 

Hino de Cachoeira de Minas

Salve, salve Cachoeira adorada / Salve linda cidade-sorriso

Deus te fez de mil flores ornada / Para o nosso eterno paraíso

 

És a estrela formosa que esplende / E o teu povo se orgulha de ti

Dês que Inácio da Costa Rezende / Fez-te às margens do Sapucaí

 

Imensamente bela / De rica fauna e flora

Tu és uma aquarela / Ao despertar da aurora

Salve Cachoeira linda / Dona do nosso amor

Tu és a jóia vinda / Das mãos do Criador

 

Este templo tão belo onde encerras / Toda a essência do afeto cristão

Faz vibrar pelas dobras das serras / Melodias do teu carrilhão

 

Há cem anos rezava-se a missa / Em capela de humilde Sacrário

Hoje, ao fim, vitoriosa na liça / Empunhaste o Poder Judiciário

 

Mimosa flor querida / De encantos milionária

Tu és a nossa vida / Ó Venus legendária

Salve Cachoeira linda / Dona do nosso amor

Tu és a joia vinda / Das mãos do Criador

 

Tens um povo de fé consistente / Que trabalha com senso e com arte

Centenária, mas sempre recente / Do progresso empunhando o estandarte

 

Salve, salve Cachoeira de Minas / Que o futuro te aumente os brasões

E ao romper das manhãs purpurinas / Hás de ver gerações, gerações

 

Cidade hospitaleira / És nossa inspiração

Estás a vida inteira / Em nosso coração

Salve Cachoeira linda / Dona do nosso amor

Tu és a jóia vinda / Das mãos do Criador

 

Para ouvir nosso hino clique aqui: https://goo.gl/BuKPKp