História da Fogueira

Idealizada pelo comerciante Pedro Ribeiro, o Pedro da Colodina como era conhecido, a Fogueira de São Pedro teve início com um forte contexto religioso. Pedro era mascate e visitava a cidade periodicamente, principalmente no período da Festa de São João Batista. Devoto do santo, Pedro da Colodina possuía uma deficiência física e usava latinhas de extrato de tomate forradas com espuma para apoiar suas mãos e se locomover.

Ele fez uma promessa que realizaria uma festa para homenagear São Pedro, com procissão, missa e terço, se fosse curado. Ele melhorou e passou a realizar a festa, que teve a ajuda da população e de comerciantes que doaram produtos para o preparo das comidas típicas que eram oferecidas após o acender da fogueira, como broas, biscoitos, chá, pastéis e canelinha. Com a morte de Pedro da Colodina, a festa passou a ser organizada pelos senhores José Henrique Carneiro, conhecido como Zé Simião, e José Antônio de Carvalho, o Zé Mendes. Os dois festeiros resolveram homenagear Pedro da Colodina. Ergueu-se uma fogueira de seis metros, com lenha, uma em cima da outra, e fogos de artifício colocados por José Simeão. Desde então passou-se a comemorar a Festa da Fogueira em homenagem a São Pedro e ao Pedro da Colodina, sempre no final do mês de junho.

José Mendes e Zé Simeão resolveram montar a fogueira de forma diferente. Eles armaram seis varas, formando um hexágono e tecendo de lenha até atingir a altura de quase quarenta metros. O objetivo principal dos organizadores era chamar a atenção para o público da região e angariar fundos para a Sociedade Musical Eduardo Tenório.

A fogueira subia um metro a cada ano e passava a atrair um maior número de visitantes, que vinham à cidade com o interesse e curiosidade de ver a altura da nova fogueira. Com o tempo, a fogueira foi se moldando e adquirindo o novo formato. Surgiram tradições, como o desfile de carros-de-boi levando lenha para a confecção da fogueira e o famoso "aviãozinho" que sobe e dá inicio à queima de fogos e ao acender da fogueira.

Nos últimos anos, a fogueira passou a ser preparada pela Prefeitura Municipal e por empresas terceirizadas. Em 11 de junho de 2007, foi criado o Conselho Fiscal e Consultivo da Festa da Fogueira de São Pedro, que tem como objetivo principal resgatar a cultura e a religiosidade da festa e suas origens.

O Conselho buscou dar um novo rumo à festa. Em 2009, a organização da festa distribuiu broa e biscoito na sexta-feira, dia anterior ao acender da fogueira. A partir do ano de 2011, o evento passou a contar com shows famosos. Já se apresentaram Pedro e Tiago, César e Paulinho e Zé Henrique e Gabriel. Neste ano, o show escolhido será divulgado durante a realização do Kaxú Folia 2014, o carnaval cachoeirense.

A maior do Brasil – A altura da Fogueira de São Pedro sempre foi alvo de indagações. Muitos falam que ela já chegou a 40 metros. O que se sabe, é que de alguns anos para cá, em razão dos critérios de segurança cada vez mais rígidos, sua altura tem ficado em torno de 30 metros.

Há no Brasil outras duas grandes Festas cuja atração principal é uma Fogueira. Uma no interior do Paraná, na cidade de São João, que chega a medir 60 metros, e outra na cidade Pirapozinho, no estado de São Paulo, com 50 metros. Entretanto, essas duas fogueiras são vazias, sem enchimento de lenhas, restando apenas a estrutura externa da fogueira.

Em Cachoeira de Minas, neste ano de 2014, com a expectativa de alcançar 40 metros de altura, a Fogueira de São Pedro reafirmará a marca de maior fogueira cheia de lenha do Brasil, o que lhe confere um grau muito maior de dificuldade em sua feitura